Residência Marcus Du Sautoy  

Música e Simetria

3 de Julho (17h) - Live Streaming através dos nossos canais de Facebook e Website.


Muitos compositores referem a importância dos conceitos matemáticos no seu trabalho. 


Nesta residência em Marvão, Marcus Du Sautoy irá juntar-se ao Quarteto Mendelssohn BP e ao pianista Nicolas Margarit, vindos de Madrid, para explorar esta antiga relação entre a matemática e a música. 


Esta residência artística e científica, que decorrerá ao longo de uma semana na Academia Internacional de Marvão para a Música, Artes e Ciências, apresenta o seu resultado final numa conferência - concerto a ser transmitido internacionalmente, em streaming, dia 3 de Junho.


Marcus é co-director do PRiSM, o centro que fundou com a compositora Emily Howard em Manchester, para a Prática e Investigação em Ciência e Música. Nesta semana em Marvão, será explorado o poder da estrutura matemática na composição musical no passado, presente e futuro.


Quanto ao Passado, Bach é provavelmente o compositor que capta perfeitamente esta fusão de ideias. De facto, a sua música tem sido descrita pelos seus contemporâneos como o processo de sonorização da matemática. Assim, Marcus vai desembrulhar a matemática da simetria escondida nas Variações de Goldberg. 


Sobre o Presente, Marcus partilhará as ideias que levaram à sua colaboração com Emily Howard e que resultaram na sua peça para Quarteto de Cordas: Quatro Provas Musicais e uma Conjectura. Esta peça tem como inspiração a ideia de que as provas matemáticas têm uma qualidade musical intrínseca. 


E, olhando para o Futuro, Marcus irá explorar ideias para uma nova peça, experimentando a forma como os conhecimentos modernos sobre a matemática da simetria poderiam inspirar novas ideias composicionais.



Marcus du Sautoy é o Professor Simonyi para a Compreensão Pública da Ciência e Professor de Matemática na Universidade de Oxford e membro associado do New College.

É co-director do PRiSM na RNCM em Manchester, onde é Professor Convidado Honorário. Autor de sete livros, incluindo O Código da Criatividade, que explora o papel da inteligência artificial como possível ferramenta para a criatividade nas artes. Apresentou numerosos programas na televisão e rádio, entre os quais a excecional série da BBC The Story of Maths e o concurso televisivo sobre matemática The School of Hard Sums. Colaborador habitual dos jornais The Guardian, The Times e The Daily Telegraph, escreveu e interpretou uma peça intitulada X&Y, apresentada no Museu da Ciência de Londres e no Festival de Glastonbury. Foi distinguido com a Ordem do Império Britânico pelos serviços à ciência em 2010.


























Cuarteto Mendelssohn de BP


Eva Rabchevska Violino

Roman Kholmatov Violino

Bella Chich Viola

Hayk Sukiasyan Violoncelo


Criado em 1995 na Escola de Música Reina Sofia, o Quarteto BP Mendelssohn recebe aulas do professor Heime Müller e frequentou masterclasses de Walter Levin e Menahem Pressler.

O Quarteto actuou no Auditório Winterthur de Barcelona, Auditório Nacional de Madrid, Auditório de Castellón e Centro de Convenções, bem como na Fundação Silos em Burgos. Também participou no Concerto de Homenagem da Fundação Hispano Británica à Rainha Victoria Eugenia no Hotel Ritz, sob a presidência honorária dos Príncipes de Gales e da Duquesa de Soria. Mais recentemente, o Quarteto actuou nos ciclos Prelúdio e da Câmara, bem como nos concertos de Natal da BP no Auditório da Sony e no Ciclo das Cidades Património Mundial que os levou a tocar em Tarragona, Cuenca e Santiago de Compostela.


















Nicolás Margarit Pianista


Nasceu em Brisbane (Austrália) em 1999. Desde 2017, estuda Piano na Escola de Música Reina Sofía Fundação Banco Santander, com o professor Dmitri Bashkirov. Foram-lhe concedidas bolsas de estudo pela Yamaha Pianos e pela Fundação Albéniz. Recebeu o Diploma para o aluno mais destacado da sua cadeira em 2019 e 2020. Recebeu também o primeiro prémio na sua categoria no 49º Concurso de Jovens Intérpretes de Piano da Catalunha.

Começou os seus estudos de piano aos três anos de idade e foi mais tarde mentorado por Joyce Bennet. Em 2011 e 2012 frequentou a Escola Yehudi Menuhin em Londres, onde estudou com Ruth Nye. Também estudou com Anna Grinberg, entre outros. Ofereceu o seu primeiro concerto aos quatro anos de idade no Queensland Conservatorium. Deu recitais na Austrália, bem como no estrangeiro. Em 2010 tocou com a Orquestra Sinfónica de Queensland no Queensland Performing Arts Centre. Em 2015 tocou o concerto para piano de Schumann com a Brisbane Pops Orchestra e em 2016 actuou com a Young Conservatorium Symphony Orchestra no Festival de Duo de Piano da Austrália. Também actuou no âmbito do Ciclo AIE no Museu Lázaro Galdiano, no Auditório Cicus de Sevilha, e no Festival Hammerklavier da Catalunha.

Como aluno da Escola, participou em masterclasses de Jerome Rose, Elisabeth Leonskaja, Eldar Nebolsin, e Alexander Lonquich. Fez parte do Trio Mistral e do Ensemble Tricorne. É actualmente membro do Bain Satie Ensemble e do Telemann Ensemble.